ENQUANTO ISSO...

quarta-feira, 24 de março de 2010
A mãe do baiano vai viajar pro exterior e pergunta ao filho:
- Quer que mãinha lhe traga alguma coisa da viagem, meu dengo?
- Ô, minha mãe... Por favor, me traga um relógio que diz as horas.
- Ué, meu cheiro... E o seu, não diz não?
- Diz não, mãinha... Eu tenho de olhar nele pra saber...

Três horas da tarde. Dois baianos encostados numa árvore à beira da estrada. Passa um carro a gde velocidade e deixa voar uma nota de cem reais, mas o dinheiro vai cair do outro lado da estrada. Passados 5 minutos, um fala para o outro:
- Rapaz, se o vento muda, a gente ganha o dia...

- Meu rei, veja aí pra mim... A braguilha da minha calça tá aberta?
- Olhe... Tá não...
- Então vou deixar pra mijar só amanhã...

Quatro baianos assaltam um banco e param o carro uns quilômetros à frente. Um deles pergunta ao chefe da quadrilha:
- E aí, meu rei... Vamos contar o dinheiro?
- E pra que esse trabalhão? Vamos esperar o noticiário da TV...

Dois baianos estirados nas redes estendidas na sala: Oxente, será que tá chovendo?
- Sei não, meu rei...
- Vai lá fora e dá uma olhada. ..
- Vai você...
- Vou não, tô cansadão...
- Então, chame nosso cão...
- Oxente, chame você...
- Ô Fernando Afonso!... O cachorro entra na sala, pára e deita de costas para os dois.
- E então, meu rei, tá chovendo?
- Tá não... O cão tá sequinho.

1 comentários:

  1. Sonhadora disse...:

    meu querido
    gosto de passar, para me rir um bocado, belo texto.

    Beijinhos
    Sonhadora